• Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Twitter Preto
  • Preto Ícone Instagram
  • Benato Gomes

Thor 4: Natalie Portman será a nova Thor e Valquíria a primeira heroína LGBT+

A Marvel fez inúmeras revelações sobre o futuro no cinema, e a representatividade foi um dos pontos altos do seu Painel

Depois de ter deixado o MCU (Marvel Cinematic Universe, ou Universo Cinematográfico da Marvel) em clima de conflitos, Natalie Portman, que viveu a Jane Foster na franquia Thor, retornará ao universo cinematográfico para assumir o manto do Deus do Trovão.


A atriz retornará em Thor: Love and Thunder (Thor: Amor e Trovão, em tradução livre), quarto filme solo do herói. O longa terá o retorno de Taika Waititi, diretor de Thor: Ragnarok, na direção, o que já é um indício de que o filme trará mais uma vez um tom mais cômico.


O anúncio foi feito pelo próprio Taika Waititi durante o painel da Marvel na San Diego Comic-Con (SDCC).

Taika Waititi entrega o Mjolnir para Natalie Portman - Foto: Divulgação

Nos quadrinhos a personagem Jane Foster já empunhou o Mjolnir.


A história de Jane Foster assumindo os poderes de Thor tem início em Thor: God of Thunder #12, quando a personagem é diagnosticada com câncer de mama em um estágio avançado. Retornando imediatamente para a Terra, Thor insistiu para que ele a deixasse levar para Asgard, onde poderia usar de meios mágicos para curá-la. Porém, sendo uma mulher da ciência, ela recusa o tratamento para tentar tudo o que é possível na Terra. Quando Thor perde uma batalha importante e, no processo, torna-se indigno de levantar o Mjolnir, ele magicamente encontra Jane Foster, que o levanta graças à bondade de seu coração: nasce a Deusa do Trovão.

Poderosa Thor nos quadrinhos - Foto: Marvel Comics

Como heroína, Jane enfrentou alguns vilões icônicos do Deus do Trovão como Malekith e os Gigantes de Gelo, demonstrando um nível de controle de Mjolnir que o próprio Thor jamais havia demonstrado. Ela era agora capaz de liberar habilidades do martelo que nunca foram utilizadas pelo Filho de Odin.

Valquíria, a primeira heroína LGBT+ do MCU


No painel da Marvel Studios na San Diego Comic-Con, o estúdio não teve pena dos fãs e soltou um calendário cheio de lançamentos pelos próximos dois anos, incluindo filmes e séries do Disney+. Um dos lançamentos que mais pegou o público de surpresa foi Thor: Love & Thunder. O filme vai retratar a ascensão da Poderosa Thor, como explicado acima.

Valquíria em Thor: Ragnarok - Foto Marvel/Disney Divulgação

No entanto, quem roubou a cena no painel foi Tessa Thompson, que já foi confirmada no filme. A Valquíria vai continuar atuando como Rei de Asgard, ao aparecer no painel, a atriz conversou com o público e disse: “Como Rei de Asgard, ela precisa encontrar sua Rainha. Essa será sua primeira missão”.

Tessa Thompson na San Diego Comic Con 2019 - Foto Divulgação

Isso deixou muitos fãs se perguntando se era apenas o desejo da atriz ou realmente veríamos ela em busca de uma mulher para comandar Nova Asgard ao seu lado. Após o painel, o site Gizmodo conversou com Kevin Feige, o presidente da Marvel Studios e ele confirmou que a Valquíria seria a primeira super-heroína LGBT+ no Universo Cinematográfico da Marvel.


“A resposta é sim”, disse Feige ao ser perguntado se a heroína teria uma história LGBT+, buscando uma Rainha. “Como isso impacta a história, ainda será visto junto do nível de representatividade que você verá por todos os nossos filmes, não apenas Thor 4”.



  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Twitter Preto
  • Preto Ícone Instagram