O que é ser Mãe, por uma Mãe

Nossa homenagem a todas as mães vai ser de uma forma especial, com várias Mães diferentes falando justamente sobre a Maternidade

Nesse domingo, 8 de maio de 2022, o Dia das Mães, resolvemos fazer uma homenagem a todas as mamães de uma forma especial, e para isso, convidamos várias mães para falarem suas próprias experiências, suas próprias visões, alegrias, acertos, dificuldades, enfim, tudo sobre a maternidade, sem limite de texto, puderam ficar a vontade para se expressar.


O Jornal Mídia Digital deseja a todas as Mães um domingo maravilhoso, uma semana incrível e uma vida linda.


Boa leitura:

 

O que e ser Mãe, por uma Mãe


Daniele Maria de Souza, professora.

Mãe, palavra curta de significado extenso, algumas geram filhos no útero e outras no coração, algumas planejam por esse título, outras simplesmente são surpreendidas por duas barrinhas em um pequeno palito com um positivo e é aí que inicia tudo aquilo que não nos foi ensinado. Enjoos, tonturas, vômitos, sono, oscilações de humor, mudanças no corpo e na mente, todos sentidos se aguçam. Passam semanas, meses, mexidas na barriga, ansiedade, roupas que não cabem mais, planejamento do futuro.


Algumas não concluem seus planos, tornam-se mães prematuras, e precisam aprender na marra sobre saturação, idade cronológica, idade corrigida, intubação, sonda, cateter, aprendem a não segurar seu filho após o parto e aprendem a não poder dar aquele cheiro após o nascimento, precisam aprender a ir embora do hospital e deixar sua cria assim que se tem alta, aprender a fazer visitas de quinze minutos para alguém que ficava eu seu ventre vinte e quatro horas, aprender a ver seus seios escorrendo leite e não ter ninguém pra amamentar, aprender a ver seu filho sentindo dor e você só poder observar, aprender a esperar, esperar e esperançar para poder levar seu novo ser para casa, para iniciar sua jornada de aventura.


Semanas se passam, cólicas vem, ausência e privação de sono também, alguém que precisava dormir dez horas, precisa aprender a dormir fracionado em três. Cada mês uma alegria , uma nova fase, um amor que dilata e uma voz que te pergunta consciente no seu inconsciente, será que sou e serei uma boa mãe?


Não parecia tão difícil quando era a nossa que exercia essa função. Dúvidas e um desafio, encontrar a mulher que existia antes da maternidade, aquela que pensava que não tinha tempo e agora faz milagre com ele para realizar a maior parte de suas responsabilidades. Meses passam, anos passam e a dúvida reaparece, na verdade ela sempre esteve ali, na nossa cabeça, será que eu vou dar conta de educar, zelar e preparar meu filho para a vida? Será que estou no caminho certo? Será que estou gerando traumas em sua infância? Será que eu era assim com a minha mãe, desafiava ela inúmeras vezes ao dia?


O tempo vai passando e com a ele as responsabilidades aumentando, é preciso aprender a administrar a casa, o trabalho, os filhos, a alimentação saudável, a mente e o corpo equilibrado, e ainda receber olhares tendenciosos sobre sua maternidade com julgamentos sem fim.


Cada dor e doença nos primeiros anos de vida, desperta uma médica e enfermeira, cada dúvida e descoberta de sentimentos, desperta uma psicóloga, cada tarefa escolar a realizar, desperta uma professora, cada refeição, desperta uma cozinheira, e cada necessidade se descobre uma nova profissão.


Ser mãe é entender que você é capaz na prática, é compreender sua mãe todos os dias e ficar com vergonha de algumas atitudes suas enquanto filho, é refletir que sua mãe privou também de muitas escolhas e nunca reclamou, nunca te disse que o mundo pode ser cruel com as mães porque muitas vezes as censuram, excluem, pensam que mãe não tem desejos e vontades e tentam castrar sua feminilidade, julgar o seu maternar mesmo quando não são mães , não compreendem a intensidade , esperam que as mães sejam santas e sem defeitos . Mãe deveria ser uma função a ser concluída no início da vida adulta, mas o mundo fora e as vezes dentro da própria casa, sobrecarrega e impõe uma visão machista sobre o que uma mãe é capaz de fazer, porque romantizam uma mãe explorada com uma mãe guerreira.


Portanto, seja grato com quem gerou sua vida, carregou e sofreu as alterações em seu corpo, educou e privou de suas vontades para que as suas fossem contempladas, talvez sua mãe não verbalize suas necessidades, ou até tenha esquecido de senti-las por ter deixado de lado por um longo período. Lave a louça, não pra ela, lave porque você usou, arrume a casa porque você desorganizou, faça uma comida porque ela também sente fome, não é responsabilidade dela continuar a fazer mesmo depois que você é capaz de fazer sozinho. Ao invés de flores, ofereça respeito, carinho, atenção, porque nunca saberemos quando será o último dia dela aqui com você. Parabéns a todas mamães, não pela data, mas por vocês terem experimentado ser essa metamorfose ambulante e fazer um ótimo trabalho.

 
Ana Carolina Gomes Cola, enfermeira

Sinto que a maternidade me transformou completamente. Acertou em cheio o meu coração. Achava que eu mudaria, mas foi muito além de uma mudança. Ser mãe, virou a minha vida de pernas para o ar, me deu um belo chacoalhao!


Deu um chega pra lá nas minhas certezas engessadas. É, eu tinha certeza que seria tranquilo ter noites mal dormidas. Mal sabia que chegaria a chorar de cansaço. Ser mãe me fez estar lá presente, a qualquer momento do dia ou da noite. Me obrigou a ser mais. A ser sempre.

Eu não imaginava que precisaria treinar incansavelmente a minha paciência. Achava que a que eu tinha era o suficiente, quanta inocência. A cada nova fase que chega parece que o nível de paciência necessário também aumenta, por isso sigo exercitando a minha.


Confesso que quando a maternidade chegou para mim, questionei como muitas mães sobrevivem a 2, 3 ou mais madrugadas e aos choros.


Hoje eu entendo, que por um filho mãe aguenta, respira, doa o corpo, a alma e cada pedacinho do coração.


Hora ou outra surta, mas está sempre pelos seus que tanto precisam dela. Nem que seja pra depois chorar no chuveiro. Afinal, ninguém é de ferro; e ser MÃE é algo Divino e Mariano, pq é um amor que chega a doer!!!


Amo minha mãe e amo ser mãe!!!

 
Rosilaine Lacerda Sato

"A maternidade é algo difícil de explicar, sai do campo do possível mensurável. É amor incondicional, responsabilidade e preocupação sem igual e instinto protetivo irracional! Amamos, nos preocupamos e defendemos com a mesma intensidade! Um ser que respiramos ofegante para ter e acompanhar o seu viver e a respiração quase para na possibilidade remota de perder! Ser mãe é viver em prol de um novo ser!

 
Gabriela Pereira Lima Chiodi, psicóloga

Ser mãe...


Quando estou cansada depois de uma jornada de mais de 12h de trabalho gosto de assistir alguma série no celular deitada na minha cama e depois de um tempo meu filhote adolescente vem e deita em cima de mim rsrs, quando minha menina percebe discretamente deita na cama e então meu caçula arruma um jeito de subir na gente até me dar um beijo na bochecha. É nessa cena que minha memória me leva quando penso em ser mãe, é em estar com meus filhotes sem dizer nada e ao mesmo tempo sentindo tudo, é o toque, o cheiro e a sensação de que não existe nada além daquela cama por aqueles poucos minutos até começar a confusão de novo rsrs. Todo esforço que faço na vida, trabalho, planos e sonhos são por eles. Desde o momento que foram colocados em meus braços e senti seu cheiro (cheirinho de meu) o meu objetivo é fazer com que eles entendam que tudo é possível nessa vida e que nossa verdadeira busca é pela felicidade.


Mas nem tudo são flores, que mãe não pensou em fugir, ou deixar pra depois, ou pedir comida pronta. Pois é sou dessas mães, dessas que cansa, mas depois descansa e segue em frente, humana sabe. Eles conseguem ser mais teimosos que a gente e mais encantadores, não importa ser firme, parece que sempre nos ganham com um sorriso, escuto a palavra mãe tantas vezes ao dia que tornou se para mim um título, o título mais honroso de possuir.... ser mãe.


“filhotes espero que eu passe a mensagem pra vocês de que não tem problema mudar de ideia ou começar tudo de novo, não são seus erros que os definem e que sua felicidade depende de vocês, então não crie expectativas nos outros. Sejam os protagonistas das suas vidas e escrevam vocês suas próprias histórias, me orgulho sem fim de tudo que estamos construindo juntos”

 
Carolina Souza, professora

O que é ser mãe....


De repente, você se depara assustada, imóvel olhando pra dois risquinhos.... e lhe vem à cabeça um turbilhão de pensamentos e sensações loucas.... será que consigo? E aquela viagem que tinha programado? Não irei mais pra balada?...


A ficha demora cair, e você começa perceber que semanas atrás não era o lanche que lhe fez mal, ou a gastrite que estava atacada....


Então você começa a planejar... um parto natural, uma amamentação plena e exclusiva.... bebe que não ficará no colo...tudo que nem sempre acontecerá como o planejado..., mas acontece como deveria ser... do jeitinho que eles escolherem ...


E quando aquele serzinho nasce, você se apaixona com uma força que jamais pensou que habitasse em você!...


Você se desdobra pra cuidar, mesmo necessitando de cuidados... você acorda pra acalentar, mesmo com um sono incontrolável... é a tal da força do amor que lhe move e lhe dá condições pra proteger seu pedacinho, seu coração que bate fora do peito...


Os meses passam, e quando você está se acostumando com uma fase; outra um pouquinho mais difícil esta por vir... cólicas, salto do crescimento, engatinha, cai, anda.... aponta dentinho.... morde o amiguinho e de repente: - “não quero colocar essa roupa”!...


E você esta ali, toda apaixonada como sempre, refazendo planos e traçando novas metas... lê vários artigos de como lidar com a adolescência do bebê....e faz nado sincronizado com a piscina que se formou de todos os cuspis que você atirou pra cima com a famosa frase: ... mas quando eu tiver meu filho...isso não acontecerá!! E pasmem!!!! acontece um pouco pior rsrsrs... mas você está ali, para guiá-lo, protegê-lo.... as vezes você tem o peito apertado pelo simples fato de pensar que um dia não mais estará aqui pra cuidar desse seu amor....


E junto com todo esse amor, vem as responsabilidades de suas outras funções... esposa, dona de casa, trabalhadora.... é como uma coreografia onde quando se erra um passo, é roupa que se acumula, é lição de casa que não é feita.... e mesmo assim, você segue sem esmorecer, pois, sabe que aquele pedacinho seu, depende de você, precisa de você, e você com um sorriso doce e leve diz...eu estou aqui!


Mas as vezes esse sorriso não é tão doce, e a voz não soa com uma melodia poética e sai: Vai tomar banho agora ou o coro vai comer!!! Kkkk e sabe o que é melhor de tudo isso? Nem uma mãe faz nada pra prejudicar seu filho... ao contrário, certo ou errado, todas estamos na busca incessante de torná-los cidadão do bem pra que tenhamos uma sociedade melhor...


Crie seus filhos para o mundo, mas que eles nunca se esqueçam de onde vieram e quem os quer sempre bem! Um feliz e abençoado dia a todas as mães, e não digo apenas as biológicas, pois exigem mães de coração, tias mães, madrinhas mães, avos mães, pais-mães.... no final de tudo o que manda é o amor!

 
Alessandra Aparecida de Miranda Cilli, do lar

porta

suporta

pari

não

para

partida


Ser mãe não é completude, não é estado de perfeição, é angustia, incerteza, preocupação, dúvida, dor, responsabilidade, ocupação, tristeza, desafio, medo de se perder ou de perder; mas em maior escala é alegria, satisfação, paixão, amor e afeto.


Mãe é se doar, é ser do outro e ser para sempre. Eu sou de dois ♡.

 
Gisele Batizoco de Almeida Lelé, professora e contadora de histórias

A maternidade foi algo que sempre desejei em minha vida. E a realização do sonho se concretizou com um casal que são as maiores riquezas da minha vida. Não me ensinaram ser mãe, me tornei quando me vi diante de um ser para cuidar, a partir daí nasceu a mãe Gisele sem experiência mas com coração e a alma cheio de amor pra dar e receber. Ser mãe é a minha maior conquista e realização.

 
Gabriela Saquy Bertini, enfermeira

Ser mãe é sofrer diante de todas as dificuldades que não é nós apresentada antes da maternidade e quase sempre nos fazem sentir como seres de outro mundo. Passamos pelo peso da barriga, dores da amamentação, cólicas, noites sem dormir e vamos nos descobrindo ao longo da jornada e nos adaptando em meio tantas transformação. Transformação que nos completa e nos faz sentir especial a cada sorriso ao escutar a palavra mamãe pois no final das contas o que realmente vale a pena é ver a felicidade estampada no rostinho deles e como passe de mágica todas as dificuldades desaparecem. Esse ano será um dia das mães especial pois após 2 anos de restrições devido a pandemia e o medo que tomou conta do nós, poderemos abraçar e estar junto de quem amamos. Feliz dia das mães a todas mamãe e para minha mãe também.

 
Josiane Ivanoff Gomes, dentista

Me tornar mãe foi o que de melhor aconteceu na minha vida. Logo eu, que achava que minha vida não tinha como ser mais feliz... estava num casamento feliz e realizada profissionalmente... o que poderia melhorar? Minha filha chegou em 2018, e então eu percebi que meu coração transbordou! Um amor que eu nunca imaginei que seria capaz de sentir, uma felicidade infinita! Mas nem tudo são flores... tem dias que o cansaço e o stress falam muito alto, pois ser mãe exige muita dedicação... mas ao olhar o rostinho da minha filha, o amor enche o peito e, por fim, é isso que importa. Ser mãe, pra mim, é AMOR.

 

Monica Chiodi Toscano de Campos, enfermeira obstetra, professora

“O que é ser mãe, por uma mãe”.

Ser mãe de 8 filhos é a coisa mais maravilhosa que aconteceu na minha vida. As preocupações são pela enorme responsabilidade que temos de amar, educar, conduzir, de fazê-los felizes.


O processo de gestar, parir e maternar vai se tornando mais tranquilo, à medida que os filhos foram chegando, mas passo pelos perrengues que toda mãe passa. Tem um mundo imaginário de que uma mãe com muitos filhos pari sem dor, amamenta sem problemas e que eu tenho um superpoder em não dormir, ledo engano, é preciso de ajuda sim, de uma rede de apoio. Saber que as dificuldades chegam, mas que elas vão passar tornam o processo mais leve.


Infelizmente a nossa sociedade é injusta com as mães. Quantas mães são demitidas após a licença por não ser mais tão produtiva? Quantas mães são abandonadas por seus companheiros, criam e educam seus filhos sozinhas? No meu caso “uma mãe cientista”, minhas licenças maternidades reduzem as minhas produções cientificas, e ao concorrer editais de pesquisa, minha avalição fica extremamente prejudicada ao comparar com os “pais cientistas”. Meus filhos, meus maiores prêmios infelizmente não entram no meu currículo.


Enfim, sobre o trabalho que os filhos dão, como sabemos “muito custa aquilo que muito vale”, e se ainda não entendemos isso, eu vejo que o problema, definitivamente não são os filhos, mas somos nos que estamos cansados pelas rotinas desgastantes de trabalhos e, no entanto, aprendemos a reclamar somente deles.


Para o Dia das Mães, desejo que passemos a apreciar nossos filhos, afinal é dever nosso de mãe fazer dar certo. Reclamar não vai mudar nossas vidas, amar nossos filhos, sim.

 

Fotos: Divulgação/Acervo pessoal


É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações publicados no site do Jornal Mídia Digital, mesmo reprodução de outro texto, por qualquer meio, sem prévia autorização do autor conforme Lei nº 9610/98. Contudo, a divulgação ou compartilhamento das publicações originais, apenas as originais, como link ou postagem em redes sociais do Jornal Mídia Digital, estão permitidas.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo