• Renato Gomes

Professores fazem manifestação pedindo reajuste no piso salarial

Há anos os professores de Jardinópolis brigam pelo pagamento do piso salarial correto para a categoria e a manifestação ocorreu em frente a prefeitura e fora do horário de aula. A prefeitura deu um novo prazo para a readequação

Na última terça-feira (4), um grupo de professores da rede municipal de Jardinópolis, se reuniu, fora de seus horários de trabalho, em frente a prefeitura municipal para uma manifestação pacífica.


Além dos professores, estavam presentes os vereadores Caio Jardim (PDT), José Eduardo Fofo (MDB), Gustavo Sabá (MDB), Leandro Moretti (PODE), Bello Cerimonial (PDT) e Agnaldo Gêmeo (MDB).

Professores com cartazes e panelas em frente a prefeitura. (Foto: Renato Gomes)

A manifestação tinha como pauta o reajuste no piso salarial da categoria, que desde 2019 não é revista, sendo que pela a Lei 11.738/2008, que instituiu o piso salarial nacional para os profissionais do magistério público da educação básica, o valor do piso é atualizado anualmente em janeiro, com o mesmo percentual de crescimento do valor anual mínimo por aluno dos anos iniciais do ensino fundamental urbano do Fundeb nos dois exercícios imediatamente anteriores.


Aqui em Jardinópolis, como não houve esse reajuste, alguns professores entraram na justiça e conseguiram o direito a esse reajuste.


Hoje, o piso nacional é de R$2.886,24 para a jornada de 40 horas semanais, algo como R$16,00 a hora/aula, em Jardinópolis o valor atual é de R$10,67 a hora/aula.

Professores com cartazes e panelas em frente a prefeitura. (Foto: Renato Gomes)

Segundo o vereador Caio Jardim, que também é professor, a prefeitura se propôs a fazer esse reajuste para o valor correto ainda esse ano, e que seria entregue para a Câmara um projeto de lei do executivo com o reajuste, e ainda que o pagamento de outubro referente a competência de setembro.


Em conversa com alguns professores, foi afirmado que a prefeitura resolveu mudar essa ideia inicial e que agora não seria mais referente a setembro, mas desde de julho e com isso seria preciso refazer esse cálculo para montar o projeto de lei.


A prefeitura ainda publicou um vídeo em sua página oficial no facebook, com o prefeito Paulo Brigliadori (Cidadania) explicando a situação do piso e o que seria feito.


Ainda assim os professores foram até o paço municipal com a intenção de se manifestar sobre o tema e tentarem um diálogo com o prefeito, mas o mesmo já não estava na prefeitura, segundo afirmaram os vereadores no local, ele teria saído para um compromisso marcado.

Vereadores conversam com os professores durante manifestação. (Foto: Renato Gomes)

Segundo os professores, um novo prazo foi dado pela prefeitura, até dia 15 de outubro sairia o projeto entregue na Câmara para aprovação, com isso podendo ter o pagamento feito ainda esse mês.

Fotos: Renato Gomes


É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações publicados no site do Jornal Mídia Digital, mesmo reprodução de outro texto, por qualquer meio, sem prévia autorização do autor conforme Lei nº 9610/98. Contudo, a divulgação ou compartilhamento das publicações originais, apenas as originais, como link ou postagem em redes sociais do Jornal Mídia Digital, estão permitidas


0 comentário