• Renato Gomes

Serrana e Jardinópolis: efeitos distintos da vacinação

O jornal Tribuna de Ribeirão Preto fez um comparativo entre a cidade de Serrana (que recebeu o ‘Projeto S’) e a cidade de Jardinópolis, que possui o número mais próximo da população

Reprodução do texto original: Tribuna


Para tentar entender os efei­tos da vacinação coletiva contra o coronavírus e dar parâmetros de análise aos leitores que têm enviado muitos questionamen­tos sobre o assunto, o Tribuna resolveu fazer um levantamento comparativo entre dois municí­pios da região com perfis seme­lhantes: Serrana e Jardinópolis. A escolha das duas cidades foi feita levando-se em considera­ção que Serrana, objeto de um estudo inédito do Instituto Bu­tantan já vacinou 95% de sua população adulta contra o co­ronavírus e que Jardinópolis, a exemplo das outras cidades bra­sileiras segue o Plano Nacional de Imunização e até o momento vacinou com as duas doses ape­nas 10,76% de sua população.


Outro dado considerado para a comparação é o fato de que tanto Jardinópolis, como Serrana tem popula­ção semelhante. Enquanto Jardinópolis, segundo o Ins­tituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) possui 44.970 moradores, Serrana tem 45.644. Também foi con­siderado o fato das duas ci­dades ficarem próximas de Ribeirão Preto: Jardinópolis a 22,7 Km e Serrana a 25,7 km.


Isso significa que as duas cidades estão da mesma for­ma ligadas a um grande polo regional, no caso Ribeirão Preto. Diariamente, parte da população dos dois municí­pios, se desloca para traba­lhar por aqui. A estimativa é que cerca de dez mil pessoas de cada uma destas cidades trabalhem em Ribeirão Preto.


Como padrão comparativo sobre os efeitos da vacinação nos dois municípios, o Tribuna deli­mitou o período do levantamen­to dos casos confirmados, des­cartados e óbitos causados pelo coronavírus (covid-19) entre os meses de fevereiro e maio. A es­colha se deu porque foi a partir de fevereiro que a população de Serrana começou a ser vacinada em massa no estudo do Instituto Butantan.


Entre 17 de fevereiro e abril deste ano, ao longo de oito semanas, 27.160 mora­dores daquele município re­ceberam o esquema vacinal completo: duas doses da Co­ronavac com intervalo de 28 dias entre a primeira e a se­gunda. Isso representou uma cobertura próxima a 95% da população adulta, segundo censo de saúde feito previa­mente pelo Butantan.


No caso de Jardinópolis, a vacinação da população segue a definição dos planos Nacional e Estadual de Imunização e realiza a imunização a partir dos gru­pos prioritários definidos por eles. Até o momento foram va­cinados com a primeira dose da vacina na cidade 12.211 pessoas. Ou seja, 26,64% da população. Já com a segunda dose foram imunizadas 4.839 pessoas, o que significa 10,76%.


O único fator não possí­vel de ser analisado foi qual vacina foi aplicada majorita­riamente em toda população de Jardinópolis, já que além da Coronavac os municípios brasileiros têm recebido do­ses da Astrazeneca. No caso de Serrana o estudo do Bu­tantan foi feito com a Coro­navac, imunizante produzido por ele.


Vale lembrar que segundo os especialistas, os efeitos da vacina só começam a ser ve­rificados a partir, em média, de 14 dias do recebimento da primeira dose e que somente com a aplicação da segunda dose da Coronavac seria pos­sível verificar todos os efeitos do imunizante.


Segundo o levantamento feito pelo Tribuna, nos meses de fevereiro e março, o nú­mero de casos confirmados, descartados e óbitos nas duas cidades são semelhantes. Em março, por exemplo, Jardinó­polis registrou 334 casos do coronavírus, descartou 499 e registrou 16 óbitos. Já Serra­na, confirmou 692 casos, des­cartou 1.376 e teve 19 óbitos.


A partir do avanço da va­cinação em massa em Serra­na, houve uma mudança sig­nificativa no número de casos e de mortes entre os dois mu­nicípios. Em abril Jardinópo­lis registrou 607 novos casos e teve 21 óbitos contra 235 casos e 6 mortes registrada em Serrana.


Em maio os números também continuaram diame­tralmente opostos: Jardinó­polis teve 690 casos novos e 21 mortes enquanto Serrana teve somente 333 novos casos e apenas 6 óbitos.


Nos meses analisados pelo Tribuna Jardinópolis teve 1.868 casos confirmados con­tra 1.744 de Serrana. Já o total de óbitos em Jardinópolis foi de 67 contra 33 de Serrana.

Gráfico Covid – Comparativo Serrana X Jardinópolis – Arte Tribuna

Os números do Butantan


Segundo dados divulga­dos pelo Instituto Butantan a imunização de toda a popu­lação adulta do município de Serrana, também fez os casos sintomáticos de Covid-19 despencarem 80%, as inter­nações, 86%, e as mortes, 95% após a segunda vacina­ção do último grupo.


A redução da incidência de casos foi constatada por meio da comparação dos da­dos desde o início do projeto – até completar a vacinação de todos os grupos – com o restante do trimestre avalia­do (fevereiro, março e abril de 2021).


Divulgados em 31 de maio pelo governo paulista, os da­dos do chamado Projeto S, também teriam mostrado que a vacinação em massa protege não só aqueles que receberam os imunizantes, mas também os que eventualmente não pos­sam ser vacinados. Em outras palavras, confirmaria a hipó­tese que, após ampla cobertu­ra vacinal, a tal imunidade de rebanho possa ser atingida fre­ando os avanços da covid-19.


Outra conclusão foi a ava­liação da incidência da doen­ça em Serrana na compara­ção com as cidades vizinhas. Serrana tem cerca de 10 mil moradores que trabalham em Ribeirão Preto diariamente. Porém, enquanto Ribeirão Preto e cidades da região vêm apresentando alta nos casos de Covid-19, Serrana mante­ve taxas de incidência baixas.


Ou seja, além da queda das infecções, os moradores que transitam em outras ci­dades não trouxeram um in­cremento relevante nos casos.


O Projeto S teria criado um “cinturão imunológico” em Serrana, uma barreira co­letiva contra o vírus, reduzin­do drasticamente a transmis­são no município.


A pesquisa, pioneira no mundo, foi desenvolvida pelo Butantan, aprovada pelo Co­mitê de Ética em Pesquisa da Faculdade de Medicina de Ri­beirão Preto da USP e avalia­da pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Foi realizada em parceria com a Secretaria de Saúde e a Pre­feitura Municipal de Serrana.

Fonte: Jornal A Tribuna de Ribeirão Preto

Foto capa: Renato Gomes


É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações publicados no site do Jornal Mídia Digital, mesmo reprodução de outro texto, por qualquer meio, sem prévia autorização do autor conforme Lei nº 9610/98. Contudo, a divulgação ou compartilhamento das publicações originais, apenas as originais, como link ou postagem em redes sociais do Jornal Mídia Digital, estão permitidas.

0 comentário